Agora... fale você!
 

 

Falo sim,
Poucas são as vezes que silencio!
Faço isso em respeito ao meu interlocutor!

Respondo sempre,
Por achar o silencio a mais cruel das respostas.
É indigno calarmos diante de aflições expostas.

Falo sim,
Tenho sempre muito a dizer
Mais fácil assim, pois todos me irão entender.

Respondo sempre,
Para que não me interpretem erroneamente
Já erro muito para pagar por algo inocentemente

Falo sim,
Que amo ou que deixei de amar
Palavras poderão ferir hoje, mas o tempo suavizará
E quanto à tristeza se for só a essência delas permanecerá.

Respondo sempre,
Por não desejar que alguém sinta o que sinto agora
Leio seu silencio e o interpreto de  todas as formas
Se estiver alegre digo, deixa assim...
Mas se me sinto triste falo:
 O que será que ele sentiu ou sente por mim?

Agora,
Fale você...
Coloque-se, não deixe que pensem de você o que desejarem.
Só você sabe o seu sentir e como o explanar com exatidão
Jamais permita que as palavras deixem de dizer
Tudo que alguém espera ouvir de você
Mostre sempre sua verdade com retidão.
 

Fanete Costa

                                                                

 

Designer Fanete Costa                                       Webmaster corcel negro.®