Como não
 

 

Como não...
Levantar meus olhos e enternecida os seus fitar
Quando você assim chegar
De mansinho se aproximar
E com gesto suave o meu rosto tocar?

Como...
Contradizer a sensação e a você dizer não
Quando assim delicado segurando a minha mão
Sussurrando baixinho e com emoção
Anjo meu, é só teu o meu coração.

Como...
Uma flor delicada a desabrochar
Mas a todos os sentidos culminar
Quanto mais teus olhos dentro dos meus demorar
Mas sinto você de mim se aproximar.

Como...
Não sair e me perder da razão
Ignorando toda e qualquer ponderação
E não sabendo brigar com o coração
Soberano  ele diz não poder existir titubeação!

E eis que...
O meu perde o rumo e responde ao teu coração
 E como em estado de total abnegação
Chegando o meu peito bem  pertinho do teu:
Há muito estais aqui, oh, dentro do meu!
Como não sentiu e o meu percebeu?

 Fanete Costa


 

                                                             

Designer  Fanete Costa                                                Webmaster corcel negro.®