Prisioneira
 

Sei que és uma águia
Que queres alçar alto o teu vôo.
A liberdade que anseias
Faz de mim aqui no chão
Tua prisioneira.
Sou uma simples flor
Em seu jardim
A espera desse beija flor
Que chega e que logo se vai.
Gostas de todas do jardim
Já não queres apenas
O meu cheiro de jasmim.
Já não importa se a flor sangra
Segues sem se importar o seu rumo.
A tua flor mais uma vez
Aqui fica a espera
Ela abre as pétalas e o deixa
Livre para voar e para que sejas feliz.
E ela o olha ao longe e aguarda
Por mais uma volta tua
Nesse imenso globo terrestre
E quando cansado estiveres
Pousa
E aqui Repousa beija flor
Nas pétalas e no cheiro de jasmim
Dessa flor que há muito aprendeu
O que é amar com espera
E ...espera.

 Fanete Costa

                                              

É proibida a reprodução total ou parcial do material contido
neste site sem a expressa autorização do autor.
Copyright©2012, Fanete Costa

Designer Fanete Costa                                          Webmaster corcel negro®